Gente em ComunicAção

 Carlinhos: Precisou. Chamou. Ele chega!

Carlinhos, Tânia e Joana

       Com ou sem pandemia, dia sim e o outro também, Carlos André Cavalcanti de Albuquerque, 57 anos, casado, desde maio de 1995, com Tania e pai de Joana,  entrega-se à tarefa de alimentar o corpo e a alma de muita gente por aí afora. Tio Carlinhos, como é carinhosamente chamado, em Casa Forte, é plural. Vira-se entre pastorais, encontros de grupos, Pascom, Samaritanos e ainda acha tempo para dar uma mãozinha no coral da Igreja, na festa da Vitória Régia e em tarefas domésticas, dividindo os afazeres com as mulheres da casa dele. Coisa para gigante, em que pese os seus 1,63m de altura.   

   Ligado em datas marcantes de sua vida, ele destaca o dia 16/9/2006, como sendo o da sua conversão. “Não fui sempre um exemplo a ser seguido. Quase perdi minha família para o alcoolismo. Bebia muito, não me considerava alcoólatra e, depois do encontro de Casais com Cristo, que fiz, resolvi me enxergar e mudar de vida. Consegui encontrar Jesus. E quando isso acontece, não tem volta. Renasci e sou muito grato a Deus”, confessa Carlinhos. 

   Hoje, ele é membro efetivo no ECC, Pastoral da Família, Pastoral da Comunicação e Samaritanos. Neste último, ele é voluntário e coordenador. Conhece todos os setores da casa onde trabalha. Da logística à ronda. Da tesouraria ao almoxarifado. O dia para Carlinhos começa às 6h30, quando acorda, chova ou faça sol. Depois de tomar café, faz as orações matinais e abre o computador. Às 7h bate, virtualmente, o ponto como acontece com todo e qualquer funcionário. “Trabalho normalmente. Depois das 14h30, divido meu tempo em reuniões com outros grupos, incluindo no momento, o Crisma dos adultos”, diz ele.






0 Comentarios