Consagração a Nossa Senhora


Você conhece alguém que é consagrado? Já se perguntou o que isso significa e como é o processo de consagração a Nossa Senhora? Nós pedimos para que duas consagradas falassem um pouco sobre suas experiências, são elas Tatiana Saraiva (em vídeo) e Ana Christina Curado (testemunho escrito). Antes de conferir os depoimentos, entenda o que é a Consagração a Nossa Senhora.

A Consagração a Total à Santíssima Virgem é, na verdade, uma consagração a Jesus pelas mãos de Nossa Senhora. O método foi descrito e detalhado por São Luís Maria Grignion de Montfort no Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem.

O Tratado é tão especial na maneira de descrever a devoção mariana e orientar a maneira como consagrar-se inteiramente a Maria, que tornou-se o livro de cabeceira de São João Paulo II. O Santo chegou inclusive a adotar o lema “Totus Tuus Mariae” (“Sou todo teu, Maria”) em seu pontificado.

A verdadeira devoção é um caminho fácil, curto, perfeito e seguro de se unir a Jesus. Ela é um ato vindo do coração, desinteressado, fruto da total confiança de um filho em sua mãe. 

Algumas pessoas têm dúvida sobre a consagração ser a Maria e não a Jesus. Já na introdução do livro São Luís explica: "foi por intermédio da Santíssima Virgem que Jesus Cristo veio ao mundo, e é também por meio dela que Ele deve reinar no mundo." Ele também nos diz que Jesus é o princípio e o fim de tudo, e, por isso, todas as nossas devoções têm Ele como fim.

Alguns também não entendem o termo “escravo de Maria”, muito utilizado pelos consagrados, nem o fato de alguns utilizarem correntes e cadeados nos pulsos ou tornozelos. O autor do Tratado nos fala que toda criatura é escrava de Deus por ter sido comprada por Cristo na cruz.

A melhor forma de entender mais profundamente a consagração é ler o Tratado, além de conversar com um escravo por amor. Assim você vai entender melhor cada detalhe desse ato de amor e confiança na Santíssima Virgem.

Veja outras explicações no vídeo de Tatiana Saraiva.


Confira o depoimento de Ana Christina Curado

Sempre tive uma grande admiração pela vida e pela obediência de Nossa Senhora. Seu exemplo me acompanha desde o início da minha caminhada e sempre tive a certeza de quão poderosa é a Sua intercessão. 


Com o passar do tempo, percebi que não teria outro caminho ao Céu, senão pelas mãos da Virgem Santíssima. Foi em Maria e por Maria que Deus se fez homem... então não havia caminho mais seguro para chegar a Cristo, do que tendo a Virgem como escada — a Consagração veio por um sentimento maior que uma simples decisão, mas uma necessidade. 


O período da decisão, da preparação e a vivência diária dessa poderosa devoção me ensina a melhor a amar a Nosso Senhor Jesus Cristo, pois tudo que passa pelas mãos de Maria Santíssima fica mais belo, ganha um gosto de Eternidade. As boas ações são mais puras e as dificuldades não são enfrentadas sozinhas. 


Ser filha de Nossa Senhora é saber que minha alma tem repouso, refúgio e amparo eterno... nunca estive tão livre como na hora que dei-me inteiramente a Virgem, na qualidade de escrava! É saber que a verdadeira liberdade não está no mundo, mas nas coisas do Céu.


Escolho-vos hoje, ó Maria Santíssima, em presença de toda a corte celeste, para minha mãe e minha Senhora”. — com o auxílio divino, espero que essa possa ser minha escolha por todos os dias da minha vida!”

Comentários