Testemunhos: As muitas graças de Nossa Senhora


O mês de maio é de Maria. É assim nos quatro cantos do mundo cristão católico. Nesse período do ano vive-se, mais intensamente, a devoção à Mãe de Jesus e, consequentemente, nossa Mãe do Céu. Crescem as homenagens com missas, terços, cânticos e ofícios. Um pacote que envolve fé, afeto, gratidão e esperança. Na hora da necessidade recorre-se a Ela buscando colo e amparo, porque existe a certeza de que Maria Santíssima é toda ouvidos, não importando a intensidade do sofrimento. Uma confiança expressa com convicção por Dom Bosco, o patrono dos Salesianos, quando diz “Quem confia em Maria nunca ficará desiludido.”

Entre os paroquianos de Casa Forte, há inúmeras pessoas com testemunhos para comprovar a ação da Santa Mãe de Deus. Uns falam de curas de doenças, outros de partos felizes e mais uma infinidade de graças alcançadas. Conta Patrícia Xavier: “Eu tive a graça da cura da convulsão espontânea e da asma de Nathália, nossa filha. Consagrei-a no Carmelo à Nossa Senhora, ainda gestante. Pedi por essa graça à Mãezinha e Ela me concedeu, florescendo meu coração de mãe”, diz.


Questionada sobre a sua relação com Nossa Senhora, Patrícia diz que sente a sua presença, no íntimo do coração, como de mãe unida ao filho. Costuma rezar o Terço Mariano, cedinho, por volta das 6h. O seu interesse por Nossa Senhora é crescente e a sua devoção vai além das graças alcançadas. “Quando fiz minha consagração a Maria, vi o quanto preciso mudar e senti uma vontade a mais de participar da Eucaristia, mais ativamente, rezar pelos outros, partilhar o amor e o material, também com amor”, fala.

Ionete Ferreira de Assis, muito devota de Nossa Senhora, compartilha uma das graças que recebeu das mãos de Maria, quando a sua nora estava grávida e a gravidez era de risco. “Falei para o meu filho para ele consagrar a criança e a mãe a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ele as consagrou e todos os dias rezava e tomava água benta. A criança nasceu laçada, quase que morre, passou 15 dias na incubadora, e protegida por Nossa Senhora foi revivendo. E nós rezando e consagrando mãe e filha sempre. Hoje está com 10 aninhos”, conta.


A sua relação com Maria é estreita, igual a de filha para mãe e vice-versa. Sente a sua presença e, quando fica preocupada, reza, chama por Ela e conversa. Logo cedo, faz as suas orações e pede a benção à Santa Mãe. Tem uma profunda devoção e reconhece as muitas graças que recebeu. “Só vendo a minha família neste tempo de pandemia, que está toda junta, orando, convertendo-se, indo à Igreja. Ah, isso para mim foi a maior graça da minha vida! E sei que cada dia vai melhorando, vai sendo cada vez melhor. Eu só tenho que agradecer a Nossa Senhora. Obrigada, minha Mãe!”

O casal Polyana e Francisco Dantas Filho, dão o testemunho de um milagre que aconteceu com a filhinha Antônia, alcançado pela intercessão de Nossa Senhora Desatadora dos Nós. Eles relatam que, no início da gravidez, foi descoberto um problema no coraçãozinho da bebê. Isso os deixou bastante preocupados, porque era indício para várias síndromes. A suspeita de malformação congênita séria e a indicação de tratamento penoso, com possibilidade de cirurgia após o nascimento, desesperou os pais. “Ficamos desesperados e fizemos uma corrente de oração junto à nossa Equipe de Nossa Senhora (Desatadora dos Nós), equipe do ECC e alguns amigos da paróquia, rezando o Cerco de Jericó, 7 dias seguidos, 24 horas, revezando-se em oração para o milagre ser operado dentro do ventre”, explicam.



O parto aconteceu no dia 07/10/2020, dia de Nossa Senhora do Rosário, e apesar da tristeza pela preocupação com o problema da filha, estavam confiantes. A fé em Nossa Senhora os sustentou. Ao nascer, a bebê foi para a UTI para monitoração e realização de muitos exames. A cada um deles era verificado que nada havia de errado. O principal exame deu resultado normal e não foi necessária nenhuma intervenção médica. “Vimos o cuidado de Deus e de Nossa Senhora Desatadora dos Nós em nossas vidas. Hoje ela tem 7 meses e é uma criança super saudável e muito esperta. Damos graças todos os dias pela vida da nossa pequena guerreira Antônia”, finalizam.

Comentários