A fé em Nossa Senhora da Conceição

 

    Todos os anos, a cena se repete. Milhares de pessoas sobem o Morro da Conceição, na Zona Norte do Recife, no dia 8 de dezembro, para render louvores, fazer pedidos e pagar promessas por graças alcançadas. Tida como padroeira afetiva da cidade – a oficial é Nossa Senhora do Carmo, a imagem de Nossa Senhora da Conceição envolve um dos principais dogmas marianos: a Imaculada Conceição de Maria. Em 2020, no entanto, por conta da pandemia, todas as comemorações precisaram ser diferentes: sem procissões, sem festas de rua, mas ainda com muita fé.

    A festa da Imaculada Conceição foi instituída pelo papa Sisto IV, lá em 1477. Nos dias atuais, a solenidade da Imaculada Conceição de Maria, em 8 de dezembro, é obrigatória na Igreja Católica. O dogma – uma verdade de fé, inquestionável – foi estabelecido em 1854, pelo papa Pio IX, e diz que a Virgem Maria foi preservada por Deus, do pecado, desde o primeiro instante de sua existência. Sua vida também foi inteiramente livre de qualquer mácula. A explicação, para tal condição – já que, pela fé católica, todos nascemos com o pecado original – é que Maria, destinada a ser a mãe do Filho de Deus, precisava ter uma vida completamente sem pecado, a fim de que Jesus nascesse de um ventre imaculado.

    No Recife, é comum haver novenas, romarias, procissões e diversas homenagens a Nossa Senhora da Conceição, no santuário a ela dedicada, no topo do morro que leva seu nome. A Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, em Casa Forte, é uma das que, anualmente, realiza procissão até o Morro, na madrugada do dia 8 de dezembro. Neste ano, não pudemos realizar nossa tradicional caminhada, mas a data também não passou em branco.

    Na Igreja Matriz, houve a celebração solene da Imaculada Conceição de Maria, precedida pelo Ofício da Imaculada Conceição e de um pequeno louvor, conduzido por nosso pároco, padre Fábio Paz, com animação do grupo Éfata. Os fiéis presentes e os que acompanhavam a transmissão da missa pelas redes sociais puderam venerar Nossa Senhora e agradecer pelas graças que ela derrama sobre todos, como nossa intercessora junto a Jesus. Ao final da celebração, um grupo de pessoas renovou sua consagração a Jesus, pelas mãos de Nossa Senhora, através do método de São Luís Maria Grignion de Montfort.

Comentários