Igreja vai aonde os fiéis estão

  Nem reverência a santo nem ato religioso. O assunto mais discutido entre católicos praticantes, nos últimos sete meses, foi, e continua sendo, o abre e fecha das portas das igrejas. Esse vai e vem começou dia 15 de março passado como arma para controlar a pandemia do coronavírus. E as portas dos templos foram fechadas. Cento e vinte dias depois, veio a reabertura com exigências. Nesse meio tempo, instala-se a transmissão virtual, evangelizando como manda o figurino. Provoca mais elogios do que críticas e preenche o vazio de muita gente. E a pergunta, agora, passa a ser: o que nos reserva o futuro? Com vocês, os paroquianos de Casa Forte.








0 Comentarios