Cristo Hoje - Vocações

 

   Na construção do seu Reino, Deus quis precisar de nós, dando a cada um uma vocação. "Não fostes vós que me escolhestes; fui eu que vos escolhi". (Jo 15.16). Cada um, com seus talentos e seus conhecimentos, é chamado para exercer a sua vocação. A opção, para seguir essa vocação, será atribuída a cada um, segundo sua consciência, seu chamado. Cada vocação tem seu alcance, seu significado, sua importância, mas o mesmo valor.

  A primeira semana é dedicada à importância da vocação sacerdotal para a Igreja, centrada na figura do padre como pastor, pai espiritual e representante de Cristo na comunidade de comunidades. No dia 4 de agosto, é comemorado o Dia do Padre.

  No segundo domingo, é celebrada a vocação da família, tendo, na pessoa do pai, a responsabilidade, que é dividida com a mãe, de formar, educar seus filhos no caminho da verdade, consciente do significado de ser cristão e cidadão no mundo de hoje. 

 No terceiro domingo, lembramos dos homens e mulheres religiosos que consagram suas vidas a Deus e ao próximo. Desta vocação, nascem carismas que têm sua importância na construção do Reino, com atuações enriquecedoras de testemunhos de amor ao próximo e a Deus.

  No quarto domingo, é celebrada a vocação de todos os leigos, que dedicam suas vidas aos serviços pastorais e missionários, no tempo que dividem entre as responsabilidades familiares e as atividades do trabalho. Pessoas dedicadas aos trabalhos comunitários, através de várias pastorais encontradas nas comissões: Vida e Família, Litúrgica, Bíblico-catequética, Juventude, Comunicação, Ação Missionária, Ação Social e Dízimo, contribuindo para a caminhada e o crescimento da comunidade.

  Uma vocação não é melhor do que a outra, mas todos deverão prestar contas ao Senhor da "messe", do que, efetivamente, fizeram com os talentos que lhes foram confiados. Uma coisa é certa: “Todo aquele a quem muito for dado, muito se será pedido; a quem muito for confiado, dele será exigido muito mais” (Lc 12.48). Quem teme a Deus e entende o significado dessas palavras, fará como o bom servo que dobrou os talentos confiados pelo seu senhor, que ao voltar disse-lhe: - “Muito bem, servo bom e fiel; já que foste fiel no pouco, eu te confiarei muito. Vem regozijar-te com teu senhor” (Mt 25. 21). Contudo, ao servo preguiçoso, lhe foi tirado tudo, até o que ele julgava ter. (Mt 25. 26-29).

 Viva a sua vocação com dedicação e zelo pois, para o Criador, tudo o que fizermos ainda é pouco, pela oportunidade d'Ele nos ter concedido a vida.



Comentários