Ano Litúrgico

 

    Você sabia que o Ano Litúrgico, que vivemos na Igreja, não coincide com o calendário comum? Pois é. O “Ano Novo” da Liturgia Católica acontece no primeiro domingo do Advento, quatro semanas antes do Natal de Jesus – em 2020, celebrado no dia 29 de novembro. A partir daí, o ano litúrgico é organizado em três grandes ciclos, os chamados Tempos Litúrgicos: o ciclo do Natal, o ciclo da Páscoa e o Tempo Comum. Cada um tem suas especificidades e traz-nos mensagens distintas.

    O principal objetivo da divisão do Ano Litúrgico em “etapas” é para que possamos conhecer melhor a vida de Cristo e seus ensinamentos. “O motivo central é para que, por meio da participação ativa dos fiéis no ano da liturgia, tenhamos um conhecimento maior em relação à pessoa de Cristo. É como uma oportunidade que é dada aos fiéis de que, ao longo do ano litúrgico, através dos tempos litúrgicos, possam conhecer a origem de Cristo, sua missão e a perspectiva que nos aguarda na eternidade, por meio de sua morte e ressurreição”, explica o pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Casa Forte, padre Fábio Paz.

    Os dois ciclos principais do Ano Litúrgico – Natal e Páscoa – têm em comum períodos de preparação para suas grandes festas. O Natal é precedido pelo Advento e a Páscoa, pela Quaresma. “Como toda festa importante precisa de um tempo de preparação,  para ser bem celebrada, criou-se um tempo antes de cada grande celebração. No caso do Natal, o tempo do Advento são as quatro semanas que preparam o grande evento da encarnação do Verbo. No caso da Páscoa, são 40 dias, porque, no simbolismo bíblico, o número 40 significa o tempo necessário para a preparação de um grande evento. Então a Quaresma é o tempo necessário para que os cristãos se preparem para viver bem o grande evento da Páscoa de Jesus”, observa o padre Fábio.

    A mensagem central de todo o Ano Litúrgico é falar sobre a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, mas, em cada Tempo, encontramos mensagens específicas. “A Páscoa é o centro de toda a liturgia, mas cada tempo fala de um aspecto, em especial, da vida de Jesus. Por isso é tão importante a visão do Ano Litúrgico como um todo, pois, assim, sabemos desde a origem de Cristo, qual a mensagem que Ele nos traz, qual a esperança que a Sua vinda traz para a humanidade”, pontua o pároco. 

    O ciclo do Natal leva-nos  a refletir sobre as duas vindas de Cristo: sua encarnação como homem e sua vinda no fim dos tempos. Já a Páscoa fala da entrega da vida: Jesus entregou-se, voluntariamente,, por amor à humanidade. No Tempo Comum, que é o mais longo, com 34 semanas, conhecemos melhor a missão e tudo o  que Jesus deixou de ensinamentos.

Confira como é organizado o Ano Litúrgico católico e seus ciclos:




0 Comentarios